saúde do trabalhador

Saúde do trabalhador: quais os desafios das empresas na pandemia?

10 min. de leitura

 

A pandemia do coronavírus trouxe impactos à rotina de muitas empresas que precisaram se adaptar a uma série de restrições sanitárias. Questões como o home office, a preocupação com a saúde mental e a necessidade de adequar e reduzir custos por parte das organizações estão entre os desafios para manter a saúde do trabalhador em dia, além da sustentabilidade do negócio. 

Com essa mudança na rotina empresarial e as dificuldades geradas por ela, é fundamental alinhar o setor de RH e as ações de gestão de saúde da sua empresa, seja com a parceria de uma clínica de saúde ocupacional ou com uma estrutura de enfermaria interna. 

Uma atuação estratégica é essencial para otimizar processos e gerar resultados positivos tanto para a empresa quanto para o colaborador.

A telemedicina é uma excelente aliada nesse processo, já que oferece uma série de soluções que contribuem para a promoção do bem-estar e da saúde do trabalhador. Entre os benefícios estão:

  • Qualidade e a agilidade no atendimento;
  • Fácil acesso ao histórico do paciente;
  • Uma ampla carteira de especialidades médicas.

Leia mais: Vantagens da telemedicina para saúde ocupacional 

saúde do trabalhador

Crédito: Ricardo Wolffenbuttel

Desafios da saúde ocupacional: como oferecer suporte ao colaborador?

Exames admissionais, demissionais e periódicos, segurança e medicina do trabalho já fazem parte da rotina dos setores de RH das empresas. Mas com a pandemia, contar com soluções tecnológicas seguras e acessíveis se tornou ainda mais essencial para manter os atendimentos com segurança.

Junto com essa lista de serviços, o monitoramento das condições de saúde dos colaboradores e seus fatores de risco são essenciais para identificar situações em que seja possível prestar suporte, orientação e atendimento na própria empresa ou em parceria com uma clínica especializada.

Na área de saúde do trabalhador, as empresas precisaram se reinventar e criar novas estratégias para atender as necessidades dos colaboradores. Entenda a seguir quais são os desafios do cenário atual e como amenizar seus impactos:

Prevenção do coronavírus

Para garantir a saúde dos colaboradores e proteger da Covid-19, a empresa precisa orientar sobre as medidas necessárias para evitar o contágio e disponibilizar materiais adequados como álcool gel 70% e máscaras. 

Oferecer atendimento médico e monitoramento dos funcionários dentro da própria empresa também são medidas importantes, pois evitam a exposição sem necessidade em locais como hospitais e clínicas, para tratar casos leves, ou mesmo, suspeita de Covid-19.

Soluções que contribuem no rápido diagnóstico e de forma segura têm sido adotadas por empresas para ajudar na detecção e atendimento dos casos de coronavírus. 

Um exemplo é o SOS Portal, um aplicativo de teleconsulta da Portal Telemedicina, que conta com uma rede de especialistas disponíveis para atendimento remoto. 

De forma rápida e segura, a empresa pode disponibilizar atendimento médico com clínicos gerais e cardiologistas renomados aos seus colaboradores sem que haja necessidade de eles saírem do local de trabalho.

Em casos de sintomas compatíveis com a Covid-19, o colaborador já recebe a orientação de como proceder cedo e é monitorado. Isso ajuda que, em caso de suspeita, ele seja afastado das atividades logo, reduzindo os riscos de possível contaminação de colegas. 

Ao agilizar os diagnósticos de novos casos de Covid-19 com segurança, o SOS Portal é um importante aliado na gestão de saúde das empresas para minimizar os impactos da pandemia do coronavírus na saúde do trabalhador.

Outra solução desenvolvida pela Portal Telemedicina, é o treinamento dos algoritmos para a detecção do coronavírus em exames de imagem com 90% de precisão. Com a ferramenta, esses exames são priorizados na triagem e laudados com urgência. 

Home office e modelos híbridos de trabalho

O home office chegou para ficar em muitas empresas. Algumas organizações optaram por modelos híbridos alternando com trabalho presencial ou deixando à escolha do colaborador. 

Mas o fato é que trabalhar em casa com flexibilidade de horários e autonomia de rotina, pode trazer alguns benefícios para o bem-estar, como ficar mais perto da família ou adquirir o hábito de se exercitar, ao usar o tempo do deslocamento para o trabalho para uma atividade física, por exemplo. 

Por outro lado, a falta de acompanhamento especializado ou uso de equipamentos inadequados podem contribuir para o aumento de doenças ocupacionais, como lesões por esforço repetitivo (L.E.R) e dores na coluna por postura inadequada. Além do desconforto físico, o trabalho remoto também pode afetar a saúde mental do colaborador. 

É diante desse leque de necessidades, que o atendimento da saúde ocupacional precisa se adaptar para estar ainda mais presente e realizando um acompanhamento recorrente e de qualidade, mesmo à distância.

Saúde mental do trabalhador

Além das dores físicas, outro ponto de atenção na saúde ocupacional é o esgotamento mental do trabalhador. 

Fatores como a excessiva carga de informações recebida diariamente, a dificuldade em conciliar demandas profissionais com a rotina de casa, e a sensação de estar “ligado” no trabalho 24h por dia são situações novas e que devem estar no radar da empresa.

Diversos estudos tentam desenhar o cenário atual da saúde mental no meio corporativo. Uma pesquisa realizada pela empresa Workana ouviu mais de 2.800 funcionários em países da Europa e América – incluindo o Brasil – e apontou que 43,7% dos entrevistados afirmaram que o trabalho em home office trouxe impactos psicológicos.

O ProjeThos Covid-19 – Escuta do Trabalho, Humanização e Olhares sobre a Saúde no contexto da pandemia do novo coronavírus indica que alguns dos sentimentos mais mencionados pelos entrevistados foram desmotivação, cansaço, insegurança e incompetência. Cerca de 86% afirmaram que andam mais preocupados. 

Essas situações relatadas podem ter consequências sérias para a saúde do trabalhador, correndo riscos de desenvolver quadros de depressão, transtornos ou de ansiedade. 

As empresas possuem hoje um papel importante no acompanhamento e como espaço de escuta para identificar, prevenir e ajudar no enfrentamento dos problemas que afetam a saúde mental. Ações que podem ser colocadas em prática devem contemplar, principalmente, questões relacionadas à gestão do sono e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

Ainda que a questão da saúde mental não esteja diretamente relacionada às atribuições e serviços de saúde ocupacional, é importante que as empresas estejam atentas às possibilidades de redução dos impactos na saúde mental do trabalhador e na sua produtividade.

Um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), cita que a cada US$ 1 investido em ações que promovem melhorias na saúde e bem-estar mental dos colaboradores, US$ 4 são percebidos em ganhos com o aumento de produtividade.

Necessidade de redução de custos

A crise da covid-19 também tem impactos econômicos. Por isso, além da saúde do trabalhador, a saúde financeira das empresas é um ponto chave no planejamento diante da pandemia.

Neste contexto, o uso da telemedicina é um excelente custo-benefício por atender a expectativa da empresa ofertando serviços de atendimento médico com qualidade e agilidade. 

Saiba mais: Saúde ocupacional: como a telemedicina ajuda na redução de custos da sua empresa? 

Tanto a comodidade de uma enfermaria na empresa ou a parceria com uma clínica de saúde ocupacional trazem muitos benefícios na relação empresa e trabalhador. Assim como é importante implementar programas que atuem na qualidade de vida e práticas preventivas. 

No caso de empresas que já possuem uma equipe de saúde interna, o uso de plataformas como a da Portal Telemedicina auxilia na otimização do atendimento dos colaboradores. Ao fazer uso da enfermaria, é possível locar ou comprar equipamentos médicos para realização de exames de rotina na própria empresa. 

Com essa estrutura interna, a empresa evita o deslocamento do colaborador e ainda garante laudos mais rápidos, padronizados e com auxílio da inteligência artificial para aumento da assertividade. 

A telemedicina ainda contribui para uma atuação preventiva ao possibilitar que a empresa acompanhe de perto o colaborador e, assim, evite que ele tenha um problema de saúde agravado por conta da atividade desempenhada. 

Já para as empresas que precisam contar com a parceria de uma clínica de saúde ocupacional, a dica é optar por uma clínica que já trabalha com a modalidade de telemedicina

Para saber mais: 

Conheça as soluções seguras da Portal Telemedicina para a sua empresa no atendimento da saúde ocupacional.

Confira também o nosso material gratuito sobre teleconsulta para empresas e conheça as possibilidades que o serviço oferece para a promoção da saúde do trabalhador: