medicina do futuro

Antigamente o diagnóstico em saúde se resumia a consulta ao profissional e avaliação de parâmetros clínicos e laboratoriais pouco precisos. Os profissionais de saúde atuavam de forma empírica e muitas orientações terapêuticas não tinham comprovação científica. Além disso, existia uma quantidade limitada de métodos diagnósticos e os resultados dos exames não estavam prontos no tempo hábil para uma tomada de decisão mais acertada. Através dos séculos a medicina saiu da área de conhecimento pré-histórico, medieval e renascentista, passando pela medicina moderna até surgir a medicina do futuro.

A medicina do futuro pode ser conceituada como uma inovação do conhecimento médico juntamente com a evolução e domínios das tecnologias de ponta. Ela vem com o propósito de prever o aparecimento de doenças, detectar precocemente um agravo à saúde ou evitar sequelas graves. Também tem como linha de atuação a inovação nos procedimentos minimamente invasivos.

A medicina do futuro tem por objetivo desenvolver linhas de investigação nas áreas de doenças infecciosas através de vacinas com menos reações adversas. Também tem como foco as pesquisas sobre envelhecimento saudável e rejuvenescimento, nutrição alimentar e manutenção terapêutica das doenças crônicas.

Com a evolução do conhecimento científico e aprimoramento dos recursos tecnológicos na medicina do futuro, foi possível desenvolver tratamentos com mais acurácia, efetividade e segurança. E os resultados dos exames estão mais completos e são obtidos em tempo real.

A medicina do futuro está aliada as tecnologias para embasar as decisões médicas e assegurar diagnósticos mais precisos e rápidos. As tecnologias em saúde – equipamentos, procedimentos e medicamentos – estão constantemente sendo investigadas para garantir melhor especificidade, precisão e sensibilidade dos produtos.

Confira abaixo 6 tendências para área da saúde que irão inovar na assistência ao paciente

 

telemedicina promessaA telemedicina como promessa

Acompanhando a evolução dos recursos tecnológicos, a telemedicina vem propiciando ferramentas inovadoras na assistência ao paciente. Pode ser dividida em teleassistência, quando realiza uma consulta ou acompanhamento do paciente através de computadores ou televisores em formato de videoconferência.

A teleeducação é um recurso utilizado pelos profissionais de saúde parar aprimorar os estudos científicos por meio de cursos online e ao vivo. E por último tem-se a emissão a distância de laudos comprobatórios dos exames. Todas essas atividades aproximam o conhecimento dos profissionais e facilitam a assistência ao paciente principalmente em áreas remotas.

 

 

Aplicação da medicina do futuro em larga escala em cidades inteligentes

As cidades inteligentes estão sendo idealizadas tecnologicamente com o objetivo de gerar serviços de utilidade pública, como distribuição de eletricidade, iluminação e segurança pública, e serviços essenciais de abastecimento de água e gás. É a integração dos serviços essenciais de uma cidade para gerar dados importantes ao controle do gestor.

Utilizando essa metodologia será possível o intercâmbio de informações médicas entre cidades diferentes. Assim, quando o paciente realizar um exame em uma cidade , este será encaminhado ao seu médico em tempo real em outra cidade que definirá a conduta terapêutica antes mesmo de seu retorno ao consultório.

 

inteligencia artificialA aplicabilidade da inteligência artificial

É conceituada como uma parte da ciência da computação que desenvolve dispositivos, estruturas e robôs que são capazes de simular algumas características humanas. Notadamente relacionada à inteligência, esses protótipos serão capazes de executar funções cognitivas tais como mensurar, executar, tomar decisões e resolver problemas.

Uma aplicabilidade da inteligência artificial são os robôs que realizam cirurgia. O primeiro estudo realizado em 2011 com 8 pacientes que se submeteram a uma angioplastia mostraram que não houve intercorrências e a performance desse procedimento foi igual ou melhor aos procedimentos realizados tradicionalmente pelos profissionais de saúde. A acurácia e segurança dos procedimentos foi de 97,9% no primeiro grupo e 97,7% no segundo grupo.

 

 

Vantagens e efetividade do prontuário eletrônico

O prontuário eletrônico é uma ferramenta responsável por conciliar todas as informações sobre o estado clínico do paciente. Apesar de o investimento inicial ser alto e desafiador nos primeiros meses, posteriormente será vantajoso e contribuirá para otimizar o atendimento do paciente.

Assim será possível armazenar informações sobre a história clínica e medicamentosa além de procedimentos realizados, que estarão disponíveis para consulta de evolução do prognóstico. Além disso, para levantamento de informações para os gestores, existem softwares de prontuário eletrônicos que poderão fornecer dados de produtividade: número de consultas realizadas, agenda de pacientes, custos dos procedimentos ambulatoriais, entre outros.

E para organizar e compactar esses registros torna-se relevante analisar a possibilidade de armazenamento na nuvem. Assim estes poderão ser acessados em qualquer lugar do mundo e em qualquer horário sendo de fácil acesso através de dispositivos móveis.

 

monitoramento telemedicinaMonitoramento do paciente ao alcance das mãos

Os pacientes portadores de doenças crônicas necessitam de monitoramento contínuo para prevenir complicações clínicas. Pacientes hipertensos podem ser beneficiados com os chamados relógios inteligentes (smartwatches). Através dele será possível medir a pressão arterial, nível de oxigenação, batimentos cardíacos e outros indicadores que serão descarregados nos aplicativos correspondentes da marca para serem analisados pelos profissionais de saúde.

Para os pacientes diabéticos pode ser implantado um fino sensor inserido de forma subcutânea de preferência no abdômen que fará a medição da glicose sanguínea a cada 5 minutos e será enviada para um receptor portátil. Esse sistema enviará as informações para um aplicativo móvel do telefone celular. As informações serão armazenadas e descarregadas nos prontuários eletrônicos

 

 

Farmacogenômica – tratamento personalizado conforme a identidade genética do paciente

A farmacogenômica estuda as variabilidades genéticas de cada indivíduo e como estes respondem aos tratamentos medicamentos. Atualmente já se sabe que pacientes com alterações genéticas nas enzimas hepáticas podem apresentar efeitos tóxicos mesmos nas dosagens usuais dos medicamentos.

Medicamentos como os anticoagulantes, alguns antidepressivos e medicamentos para rejeição de transplante já possuem recomendações para análise dos genes antes de determinar a dosagem correta para cada paciente.

Por isso, grande promessa da farmacogenômica é caracterizar o paciente quanto a composição dos seus genes para garantir a dosagem mais apropriada do medicamento. Os estudos para caracterização genética dos pacientes são realizados apenas em laboratório de pesquisa. O desafio agora é fazer com que o método laboratorial tenha melhor relação custo/benefício para os gestores em saúde.

 

Gostou de saber sobre as 7 tendências para a área de saúde em medicina do futuro? Compartilhe sua opinião nos comentários.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

2016 © Copyright - Portal Telemedicina Por Vitalweb

Entre em contato TEL: (11)2538-1455 | (11)2476-5710