Telelaudo de densitometria óssea: o que é e como funciona?

9 min. de leitura

Exame de imagem ajuda na detecção de doenças como osteopenia e osteoporose e pode ser laudado via telemedicina. Saiba mais sobre a densitometria óssea. 

O telediagnóstico – recurso da telemedicina responsável pela emissão de laudos à distância – oportuniza a ampliação do atendimento de clínicas médicas facilitando a realização de uma série de exames.  E um exemplo de laudo que pode ser emitido remotamente é o de densitometria óssea, tipo de exame de imagem solicitado por médicos de diferentes especialidades e que é muito útil para detectar doenças como osteopenia e osteoporose.

Neste artigo, você vai saber mais sobre o exame de densitometria óssea, suas aplicações e os benefícios da realização do laudo via telemedicina

Densitometria óssea: aplicações na medicina

A densitometria óssea é um exame utilizado no diagnóstico de patologias como osteoporose e osteopenia, condições relacionadas à perda de massa dos ossos. Por meio do exame, é possível identificar se o paciente apresenta redução na densidade óssea e iniciar o tratamento com agilidade.O diagnóstico é realizado a partir da avaliação da densidade mineral óssea, captada pelo exame de imagem.

Como a  detecção de casos de osteoporose e osteopenia é uma das principais finalidades do exame de densitometria óssea, é importante ressaltar as diferenças entre as duas doenças:  

  • Osteoporose: doença caracterizada pela perda da mineralização óssea, o que resulta rarefação nos ossos, tornando-os frágeis. Costuma ser uma doença primária, que se manifesta devido ao histórico do paciente, mas pode também ser causada por fatores como uso de medicamentos ou pela presença de outras doenças, como diabetes e hipertireoidismo.
  • Osteopenia: esta, por sua vez, é uma perda de densidade óssea que ocorre de forma natural e gradativa. Os ossos estão constantemente se renovando e, se ocorrer alguma alteração no processo, a osteopenia pode ser desencadeada. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o diagnóstico da doença é confirmado quando o paciente apresenta densidade mineral óssea (T-score) entre -1,1% e -2,4%. 

Outra possibilidade de aplicação do exame de densitometria óssea é para a avaliação completa da massa corporal de atletas de alto desempenho, mas também para quem pratica atividades físicas com regularidade. 

Por meio do resultado do exame, é possível identificar as regiões do corpo em que há maior acúmulo de gordura e quanto do peso corporal corresponde à massa dos ossos, músculos e gordura. Esse exame auxilia na preparação de treinos mais eficientes e no planejamento de dietas alimentares.

Como funciona o exame de densitometria óssea?

O exame é realizado em um aparelho de raio-x com baixa dosagem de radiação. São analisadas, normalmente, a coluna lombar e o quadril direito. Caso exista alguma impossibilidade para fazer captação das imagens dessas regiões, pode-se optar pelo quadril esquerdo e/ou pelo antebraço do braço não-dominante.

Indolor e não invasivo, o exame dura entre dez e 15 minutos e utiliza uma dosagem de ionizante tolerada pelos pacientes e que não causa sensação de desconforto. Para a radiografia, o paciente se deita na maca acoplada ao equipamento que irá captar as imagens das regiões que serão usadas no diagnóstico.

A densitometria óssea é indicada, principalmente, para mulheres acima de 65 anos, pós menopausa e homens acima de 70. No entanto, pode ser solicitada por médicos especialistas mediante suspeitas de alguma condição. A densitometria óssea é contraindicada para mulheres grávidas e pacientes que tenham feito uso de contraste em até 14 dias antes da realização do exame.

Leia também: Radiografia via telemedicina: o que é e como funciona o laudo de Raio-X à distância 

Boas práticas para realização da densitometria óssea

Para realizar o exame com sucesso, é importante que o paciente esteja informado sobre o procedimento. Confira algumas orientações que devem ser dadas ao solicitar o exame:

  • O paciente deve interromper o uso de comprimidos de cálcio 24 horas antes da densitometria;
  • Para facilitar a captação da imagem, o paciente não deve estar usando roupas com botões ou zíperes, nem acessórios de metal (brincos, colares, piercings, cintos, etc.);
  • Após uso de contraste, o paciente deve aguardar ao menos duas semanas para fazer o exame;
  • Mulheres grávidas não devem realizar o exame.

Além disso, é importante que o profissional de saúde que vai realizar o exame de densitometria óssea disponha de todas as informações necessárias para o diagnóstico. Veja as principais orientações:

  • Aferir peso e altura do paciente;
  • Instruir o paciente para que fique imóvel durante o período de realização do exame;
  • Para captar as imagens da coluna lombar, posicionar uma almofada sob as pernas do paciente, deixando a coluna reta;
  • Posicionar o fêmur corretamente para a captação de imagens do quadril;
  • Em casos em que o antebraço é avaliado, posicionar o braço do paciente da maneira correta, utilizando um suporte.

Benefícios da emissão de laudo de densitometria óssea via telemedicina

Assim como ocorre com diversos exames realizados com aparelhos de raio-X, a densitometria óssea se beneficia dos recursos da telemedicina e pode ser laudada por meio de telediagnóstico. 

O telelaudo da densitometria óssea traz vantagens tanto para os pacientes quanto para as clínicas e hospitais que dispõem desse serviço. Conheça os principais benefícios da realização do exame via telemedicina:

Redução de custos

Com uma plataforma acessível de qualquer lugar, a telemedicina permite o atendimento remoto e também que os profissionais laudem exames à distância. Isso significa uma economia para as clínicas e hospitais, que podem contratar o serviço de telelaudo, ampliando a capacidade de realização de exames sem a necessidade de um médico residente.

Leia também: Como a telemedicina reduz os custos da sua empresa 

Atendimento mais ágil

O exame pode ser laudado por profissionais disponíveis na plataforma da Portal Telemedicina a qualquer horário. Isso possibilita que os pacientes recebam seus laudos com mais agilidade, em até 24 horas.

Confira: Laudos no mesmo dia: conheça a solução da Portal Telemedicina 

Acesso a especialistas renomados

Mesmo em locais onde não há médicos especialistas, é possível contar com profissionais renomados. No caso da Portal Telemedicina, são mais de 5 mil médicos que, remotamente, têm acesso às informações dos exames e podem fazer o diagnóstico com rapidez e assertividade.

Ampliação da capacidade de atendimento

A possibilidade de ter os laudos realizados de forma remota faz com que a clínica ou hospital possa ampliar o número de atendimentos, pois não depende de um único profissional presente no local para laudar os exames. Isso traz benefícios para a instituição e também para a comunidade, que passa a ter que esperar menos pelos agendamentos.

Gerenciamento das informações

Todas as imagens e informações captadas pelos exames ficam salvas na nuvem. Isso contribui para que a clínica ou hospital precise destinar menos infraestrutura física para o armazenamento de informações e facilita o acesso da clínica, do médico e do paciente aos dados dos exames.

Conheça a plataforma de telelaudo de densitometria óssea da Portal Telemedicina

Por meio de um software avançado, a plataforma de laudos da Portal Telemedicina permite que profissionais realizem a análise de exames de densitometria óssea remotamente. Os médicos da Portal estão disponíveis em qualquer lugar e a qualquer hora do dia, o que agiliza o atendimento e possibilita a devolução dos exames laudados para o paciente em até 24 horas.

A base de dados da plataforma conta com um sistema de inteligência artificial que faz uma triagem automática dos exames, reorganizando a fila de prioridades e posicionando as urgências de modo que os médicos responsáveis laudem esses exames com mais rapidez.

Funciona assim: a clínica ou hospital envia os exames para a plataforma de forma online — todos os dados são criptografados e tratados com segurança —, e os médicos que irão realizar o laudo os recebem diretamente no sistema. Após laudados, eles ficam disponíveis para o paciente, que pode ter acesso ao diagnóstico rapidamente.

Quer saber mais? Entre em contato com um de nossos consultores.