A telemedicina é, desde os anos 1990, a especialidade médica que mais cresceu no mundo e, de lá pra cá, vem promovendo grandes transformações na área da saúde. A exemplo disso, a elaboração de laudos remotos é hoje uma realidade no setor médico brasileiro e global, contribuindo para a otimização do tempo, do espaço e dos custos em serviços oferecidos nas mais diferentes especialidades médicas, além de ter potencial para alcançar um número maior de pacientes na comparação com a medicina tradicional.

Um estudo realizado pelo IHS Technology, nos Estados Unidos, revelou que o número de pacientes impactados diretamente pela telemedicina vai dobrar e chegar a 7 milhões dentro de um ano – e grande parte desses pacientes terão recebido um ou mais laudos de exames médicos validados a distância, em procedimentos que combinam, medicina, telecomunicação e tecnologia.

No Brasil, a lista de procedimentos médicos habilitados a receber laudos remotos não para de crescer, e entre eles estão alguns exames fundamentais e bastante populares, como eletrocardiograma, mamografia e acuidade visual.

Com o aperfeiçoamento da tecnologia da telemedicina, a tendência é que a maior parte dos procedimentos baseados em informações técnicas – por exemplo, captadas por aparelhos de raio-x, sondas e equipamentos eletrônicos – possam ser laudados a distância.

COMO ISSO É POSSÍVEL?

Por meio de centrais online, algumas delas com funcionamento 24 horas por dia, clínicas e consultórios brasileiros ganham acesso a uma ampla rede de especialistas em diferentes áreas da medicina. Estes profissionais médicos, uma vez conectados aos centros de saúde por meio de interfaces digitais, estão habilitados a laudar, remotamente, exames realizados em qualquer lugar do país.

A coleta das informações junto aos pacientes – ou seja, o procedimento do exame em si – é realizada com a ajuda de equipamentos especialmente desenvolvidos para este campo de atuação da medicina, considerado revolucionário: por exemplo, aparelhos portáteis, equipados com conexão wifi e que dispensam a digitação de informações.

Em geral, as centrais de laudo também comercializam os aparelhos para a realização dos exames a distância. Os dados recolhidos são transmitidos automaticamente em tempo real para as centrais de elaboração de laudos, onde são acessados por médicos para avaliação de diagnóstico.

O principal avanço dos laudos remotos é em relação aos procedimentos que não dependem da presença do especialista com formação em medicina no local de realização. Ou seja, são exames que podem ser executados por pessoal da área técnica da saúde. Por isso, nem todos os exames médicos existentes podem ser laudados remotamente (um exemplo disso são os exames baseados em toque).

9 EXAMES QUE JÁ RECEBEM LAUDOS REMOTOS NO BRASIL

Conheça alguns dos procedimentos que atualmente já recebem a tecnologia desenvolvida em telemedicina e podem ser avaliados a distância:

Eletrocardiograma
Exame corriqueiro da área cardiológica que registra a atividade do coração, mais precisamente os potenciais elétricos, cujo procedimento costuma ser executado por pessoal da área técnica da saúde. O aparelho de ECG portátil já é um dos mais usados em telemedicina e executa a aquisição simultânea de 12 derivações, com taxa de amostragem de 1200 amostras por segundo por canal.

Eletroencefalograma
Exame que registra a atividade neurológica, o ECG também é hoje largamente realizado com o auxílio da telemedicina. Geralmente, este equipamento cabe em uma maleta de notebook, mas também pode ser conectado a um computador desktop. Alguns aparelhos de ECG agregam as funcionalidades do eletrocardiograma no mesmo dispositivo.

Espirometria
É o procedimento pelo qual se mede a capacidade de inspiração e expiração de uma pessoa, ou seja, seu ciclo de respiração. O equipamento para a realização deste exame é portátil e funciona por conexão USB ou com o uso de baterias, sem a necessidade de estar ligado a nenhum computador. De pequenas proporções e fácil manuseio, é um dos mais práticos e completos da telemedicina, podendo armazenar milhares de registros em sua memória. Por suas características portáteis, além do uso em clínicas, consultórios e hospitais, também pode ser facilmente usado em situações nas quais o paciente não tem como se deslocar até o centro de saúde.

Raio-X
Geralmente executado por técnicos em radiologia, este exame pode incidir sobre diversas partes do corpo humano, entre elas tórax, abdome, coluna e crânio, tanto com o paciente deitado quanto em pé. Por sua complexidade, o Raio-X geralmente exige não só um equipamento especial de grandes proporções, mas uma sala inteira dedicada à instalação e realização. Para o uso em telemedicina, não é necessária a aquisição de um novo aparelho de Raio-X, pois o conjunto radiológico que permite o envio das informações para as centrais de laudos é adaptado ao equipamento já existente.

Mamografia
É a radiografia da mama, feita com equipamento próprio. Tem grande importância não apenas diagnóstica, mas também para controle periódico, em especial para a saúde da mulher. O uso da tecnologia da telemedicina auxilia não apenas na transmissão das informações e dos laudos, mas, por sua característica digital, amplia também a qualidade das imagens obtidas, facilitando a leitura e o diagnóstico.

Acuidade Visual
Exame de rotina da área de oftalmologia, é largamente aplicado também pela medicina do trabalho, no intuito de certificar a capacidade visual dos trabalhadores. O mercado de telemedicina oferece optômetros de alta qualidade, fabricados no Brasil, que podem ser facilmente operados por meio de um notebook ou computador.

Ressonância Magnética
Uma das técnicas mais avançadas no âmbito do diagnóstico por imagem, a ressonância magnética exige alta especialização e diferenciação dos profissionais médicos habilitados a laudar as informações captadas pelos aparelhos. Para muitas clínicas, o elevado custo do equipamento de ressonância, somado ao desembolso mensal de um ou vários médicos especialistas no quadro de funcionários,  torna o procedimento inviável do ponto de vista da prestação do serviço. A telemedicina ajuda a diminuir o custo da operação, terceirizando a elaboração dos laudos.

MAPA
Conhecida como MAPA, a Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial busca aprofundar as informações da pressão arterial, ampliando o material para análise em relação à leitura única feita no consultório médico. Com um pequeno monitor acoplado na região da cintura, durante 24 horas o paciente realiza normalmente suas atividades cotidianas, com as variações – ou não – da pressão arterial sendo registradas durante todo o período. Ao final do acompanhamento, os dados se transformam em gráficos que revelam as alterações e servem como base para a elaboração do laudo.

Holter
Também conhecido como eletrocardiograma de longa duração, o Holter é similar ao MAPA, mas serve para acompanhar as variações dos batimentos cardíacos durante um período de 24 horas.

BENEFÍCIOS DO LAUDO REMOTO

São várias as vantagens de se obter laudos médicos elaborados a distância, entre elas:

Diminuição de custos
Em vez de contratar vários médicos de especialidades diferentes para a validação dos exames, clínicas e consultórios contratam pacotes de laudos de diferentes áreas médicas, ou seja, investindo sob demanda.

Agilidade
Esqueça o prazo de vários dias úteis para ter o laudo final do exame nas mãos. Com resultados que saem no mesmo dia, os centros de saúde se tornam mais atrativos e funcionais para os pacientes, que podem contar com rapidez no diagnóstico e, consequentemente, nas tomadas de decisão para o tratamento.

Qualidade do laudo
Muitas localidades não dispõem de médicos especialistas em determinadas áreas ou, se possuem, o custo para acesso a esses profissionais é altíssimo. Com a telemedicina, os centros de saúde têm acesso a especialistas de outras regiões, sem que seja necessário o deslocamento físico.

CONSULTÓRIO VIRTUAL

As plataformas de elaboração de laudos remotos funcionam como consultórios virtuais. Com os aparelhos adequados, e por meio de softwares especificamente desenvolvidos para os serviços de saúde, os profissionais da área médica podem: enviar informações de exames realizados em tempo real; fazer o upload de exames anteriores; receber o laudo no mesmo dia; solicitar uma segunda opinião médica e muito mais.

Como muitos centros de saúde – e mesmo comunidades inteiras – não contam com médicos representantes de todas as especialidades, o consultório virtual significa mais rapidez, segurança e qualidade na hora de elaborar laudos médicos, já que já que a maior parte dos procedimentos de coleta de informação pode ser executada por técnicos de diferentes áreas da saúde, desde que orientados e equipados corretamente.

Além disso, as tecnologias em telemedicina também permitem o movimento contrário: que o exame vá até o paciente, por meio de consultórios móveis – aspecto relevante, por exemplo, no caso de pessoas que possuem restrições de locomoção, por exemplo.

O BOOM DA TELEMEDICINA

Telemedicina é o termo usado para se referir ao uso e ao desenvolvimento das tecnologias da comunicação e da informação na saúde. Em larga escala, a telemedicina é capaz de transformar a realidade da saúde em um comunidade, região ou mesmo em um país inteiro.

Na esfera pública, governos do mundo todo vem aderindo aos avanços da telemedicina na busca por aumentar a qualidade e a eficiência dos serviços de saúde oferecidos seus cidadãos, mesmo àqueles que habitam regiões remotas e, por isso, não contam com a facilidade no acesso aos especialistas médicos.

Na outra ponta, o movimento é semelhante: todos os dias, milhares de pacientes buscam por melhores opções no atendimento médico através da telemedicina, especialmente por meio de aplicativos que colocam médicos e pacientes em contato direto.

Uma pesquisa realizada pela Harris County Medical Society, nos Estados Unidos, em 2016, revelou que as principais motivações para adoção da telemedicina são a conveniência e o potencial de redução de custos, apontados como vantagens por 59% e 40% dos entrevistados, respectivamente.

O Brasil vem acompanhando esta realidade: em todo o país, as principais universidades públicas e privadas, por exemplo, já dispõem de unidades e núcleos especificamente voltados ao estudo e à aplicação da telemedicina. Atualment, a Rede Universitária de Telemedicina (RUTE), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação o Sistema Catarinense de Telemedicina e Saúde, conta com 124 unidades em operação no país.  

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

2016 © Copyright - Portal Telemedicina Por Vitalweb

Entre em contato TEL: (11)2538-1455 | (11)2476-5710